A Educação Especial Brasileira passou por diversas mudanças e evoluções ao longo de sua história, atualmente vivenciamos a saída dos alunos com deficiência de instituições especializadas, sendo estes matriculados no ensino regular onde o sistema educacional pressupõe uma escola para todos, aberta às diferenças, inclusiva.

A área de Educação da APAE DE SÃO PAULO em 2008 passou por um processo de reformulação do trabalho desenvolvido, com o objetivo de alinhar a educação especial com as diretrizes do Ministério da Educação, na perspectiva da Educação Inclusiva. Essa reflexão resultou no fechamento gradativo da escola especial e no ano de 2009 desenvolveu-se uma nova proposta de trabalho, o Atendimento Educacional Especializado (AEE) em parceria com a Secretaria Municipal de Educação, para alunos com suspeita ou diagnóstico de Deficiência Intelectual.  Os atendimentos são realizados na Unidade Vila Clementino e nos Núcleos Capela do Socorro, Campo Limpo, Itaquera, São Matheus e Pirituba.

Alunos

O AEE da APAE DE SÃO PAULO trabalha conforme o Decreto da Presidência da República, Nº 7.611, de 17 de novembro de 2011, que preconiza: a matrícula do aluno no Atendimento Educacional Especializado está vinculada à matrícula e frequência na rede regular de ensino, o atendimento é realizado no horário inverso ao horário da escola regular, atendendo a faixa etária da obrigatoriedade escolar, ou seja, dos quatro aos dezessete anos.

O objetivo principal do AEE é identificar, elaborar e organizar recursos pedagógicos e de acessibilidade que eliminem as barreiras para a plena participação dos alunos, considerando suas demandas específicas.

O professor do AEE tem como função organizar atividades e recursos pedagógicos e de acessibilidade, a fim de facilitar o processo de construção de aprendizagem do aluno. É importante salientar que esse atendimento não se configura como um reforço escolar, pois as estratégias oferecidas são diferentes daquelas realizadas na sala de aula comum do ensino regular. O professor deverá proporcionar uma organização pedagógica direcionada ao desenvolvimento das habilidades e competências do aluno, buscando a participação e o avanço de todos, trabalhando com novas práticas pedagógicas. Utilizamos como ferramenta no AEE, projetos pedagógicos anuais, pois consideramos que este seja uma maneira de organizar as atividades de ensino e de aprendizagem de forma significativa. No desenvolvimento de um projeto, os educadores passam de transmissores de conteúdo para pesquisadores, e os alunos, por sua vez, passam a ser autores da sua própria aprendizagem.

Para validarmos as evoluções dos alunos utilizamos um instrumento de avaliação interno denominado “Sondagem”, elaborado a partir do desenvolvimento das seguintes áreas: Identidade e Autonomia, Socialização, Comunicação e Expressão, Raciocínio Lógico Matemático e Motricidade.

 

Autora

Maria Claudia-blog

Maria Claudia Cristianini Araujo é graduada em psicologia pela Universidade Metodista de São Paulo, com especialização em neuropiscologia pela Faculdade de Medicina do ABC e especialização profissional em psicossomática pela Faculdade de Ciências da Saúde de São Paulo – FACIS IBEHE. Atualmente é Supervisora do Serviço Educacional da APAE DE SÃO PAULO.